Autor: Marcio

Jojo’s bizarre adventure – jojo no kimyou na bouken

JoJo’s Bizarre Adventure – JoJo no Kimyou na Bouken

JoJo’s Bizarre Adventure (originalmente JoJo no Kimyou na Bouken) é uma série de mangá japonesa escrita e ilustrada por Hirohiko Araki, que transita entre diversos gêneros nas diversas etapas de sua trajetória, mas é consistentemente uma história de aventura e fantasia com vários elementos sobrenaturais.

A série foi serializada na revista shounen semanal da editora Shueisha – a popular Weekly Shonen Jump – quase ininterruptamente de 1987 a 2004 até ser transferida para a seinen mensal Ultra Jump, da mesma editora, a partir de 2005, onde continua sendo publicada até hoje.

JoJo's Bizarre Adventure – JoJo no Kimyou na Bouken

Sobre JoJo’s Bizarre Adventure

JoJo’s Bizarre Adventure segue uma estrutura semi-antológica dividida em partes, cada uma delas situada em uma época e lugar diferente e com seu próprio elenco de personagens, mas todas conectadas por um overarching plot e temas em comum.

Atualmente, o mangá se encontra em sua oitava parte, chamada JoJolion, que começou a ser serializada em maio de 2011. JoJo’s Bizarre Adventure é, em termos de quantidade de volumes tankobon, o segundo maior mangá publicado pela editora Shueisha, com seus capítulos tendo sido compilados em um total de 127 volumes até abril de 2020.

JoJo’s Bizarre Adventure é uma franquia bastante conhecida devido a seu estilo visual característico com poses extravagantes e ocasionais toques de surrealismo, referências frequentes à música popular e tendências de moda ocidentais, e um criativo sistema de batalha focado em Stands, descritas na trama como manifestações psico-espirituais dos personagens que dão a eles habilidades sobrenaturais.

A História de JoJo’s Bizarre Adventure

Cada uma das partes de JoJo’s Bizarre Adventure é protagonizada por um membro da linhagem Joestar, cujos descendentes podem ser facilmente identificados pela marca de nascença em forma de estrela logo acima da escápula esquerda. Apesar de o protagonista de cada fase da narrativa ter pouca ou nenhuma semelhança com sua contraparte na história anterior, todos eles podem ter seus nomes abreviados para “JoJo“.

As primeiras seis partes são situadas na mesma cronologia e são focadas em desdobramentos do conflito generacional iniciado pela rivalidade entre o JoJo original, Jonathan Joestar, e o vilão Dio Brando. A partir da sétima parte, devido a eventos ocorridos no final da parte 6, a história se passa em um universo alternativo.

JoJo's Bizarre Adventure – JoJo no Kimyou na Bouken

Parte 1: Phantom Blood (Vols. 1–5, 44 capítulos)

Na Inglaterra ao final do Século 19, o jovem Jonathan Joestar conhece seu novo irmão adotivo Dio Brando, que o detesta e planeja usurpar seu posto como herdeiro da família Joestar. Jonathan é atormentado de forma cruel e violenta por Dio logo de início, mas os dois acabaram entrando em trégua anos depois.

Dio, que tramava em segredo para envenenar aos poucos seu pai adotivo George Joestar, tem seu plano frustrado por Jonathan, que desconfiava dele durante todo esse tempo. Acuado e sem ideia do que fazer, Dio abdica da própria humanidade, assassinando George e usando seu sangue para ativar uma antiga Máscara de Pedra que transforma o rapaz em vampiro.

Phantom Blood mistura terror gótico e elementos de romances vitorianos em sua composição, e introduz a arte marcial fictícia Hamon (que significa literalmente “Ondulação”), que permite aos usuários transformar a própria energia corporal em luz solar por meio de respiração controlada.

Aliando-se ao excêntrico mestre italiano do Hamon Will A. Zeppeli e ao ex-trombadinha Robert E. O. Speedwagon, Jonathan parte em uma jornada para usar sua recém-descoberta habilidade contra um Dio enlouquecido, que agora planeja dominar o mundo e precisa ser impedido.

Jonathan consegue derrotar Dio em batalha, mas o que restou do vilão – a cabeça – conseguiu sobreviver, e retornou uma última vez para atormentar seu irmão adotivo em sua própria lua de mel. A história de Phantom Blood se encerra tragicamente, com um Jonathan moribundo se sacrificando para levar Dio consigo às profundezas do oceano onde ele não possa causar mais dor e sofrimento aos outros.

JoJo's Bizarre Adventure – JoJo no Kimyou na Bouken

Parte 2: Battle Tendency (Vols. 5–12, 69 capítulos)

A segunda parte é situada em vários locais na América do Norte e Europa entre os anos de 1938 e 1939. Joseph Joestar, o bem-humorado e impetuoso neto de Jonathan, possui uma afinidade natural para as artes do Hamon e vive em Nova Iorque com sua avó Erina Joestar – que estava grávida ao final de Phantom Blood.

Após um incidente envolvendo Straizo – um antigo aliado de Jonathan que agora estava enlouquecido após se transformar em vampiro – e ouvir falar que Robert Speedwagon morreu enquanto investigava uma excavação relacionada à Máscara de Pedra, Joseph viaja até o México e testemunha o despertar de um Pillar Man, membro de uma raça humanoide que estava por trás da criação da Máscara.

Diferentemente da parte anterior, Battle Tendency é fortemente inspirada nos adventure serials exibidos no início do Século 20 e na trilogia de filmes Indiana Jones, com a trama expansiva situada em vários locais diferentes e uma atmosfera geralmente mais leve.

Quando três outros Pillar Men despertam em Roma em busca da lendária Pedra Vermelha de Aja, cujos poderes seriam capazes de transformá-los em formas de vida supremas, Joseph e seu rival e aliado Caesar Zeppeli, neto do aliado de Jonathan na parte anterior, treinam suas habilidades no Hamon com o objetivo de se tornarem fortes o bastante para fazer frente a essas ameaçadoras criaturas.

A mentora da dupla é Lisa Lisa, uma bela mulher que parece muito mais jovem do que realmente é devido ao uso do Hamon ter desacelerado seu envelhecimento, e que por acaso também é a portadora da Pedra Vermelha de Aja.

JoJo's Bizarre Adventure – JoJo no Kimyou na Bouken

Parte 3: Stardust Crusaders (Vols. 13–28, 152 capítulos)

Stardust Crusaders foi concebido como um clímax para toda a história de JoJo’s Bizarre Adventure até aquele ponto, trazendo de volta elementos de ambas as partes anteriores para resolver de forma definitiva o conflito que fora originado em Phantom Blood. Essa parte também introduz o conceito das Stands, que se tornariam uma adição permanente à série graças à sua popularidade e à versatilidade do sistema de batalha que as acompanha.

Em 1989, o delinquente colegial Jotaro Kujo coloca a si mesmo na prisão pois acredita estar possuído por um espírito maligno. Sua mãe Holly (que prefere ser chamada de Seiko) chama o pai dela, Joseph Joestar, para dar um bom puxão de orelha no rapaz.

Com a ajuda de seu aliado, o cartomante egípcio Mohammed Avdol, Joseph “convence” o neto a sair da cela e revela que o “espírito maligno” é, na verdade, uma habilidade sobrenatural conhecida como Stand, que consiste em uma manifestação física da alma do usuário e recebe esse nome porque ela normalmente se mantém de pé ao lado da pessoa.

Jotaro logo aprende que esse fenômeno passou a afetar toda a sua família devido ao ressurgimento de Dio Brando (agora chamado apenas de DIO), que remendou a própria cabeça ao corpo decapitado de Jonathan Joestar para sobreviver durante cem anos nas profundezas do oceano.

Após frustrar um atentado contra sua vida cometido pelo aluno transferido Noriaki Kakyoin, que estava tomado pela influência de DIO, Jotaro e seu avô descobrem que Holly está morrendo devido à própria Stand. Jotaro decide então partir em busca de DIO, e Joseph lidera ele, Avdol, e Kakyoin – que recobrara a consciência e jura fazer o vilão pagar por isso – em uma viagem ao Egito.

Com apenas cinquenta dias para chegar ao Cairo e derrotar DIO antes que Holly morra devido à sua aflição, os heróis travam uma corrida contra o tempo pontuada por inúmeras batalhas contra outros usuários de Stand que o diabólico vampiro recrutou para assassiná-los.

Ao longo da jornada, o grupo ganha novos aliados na forma de Jean-Pierre Polnareff, um espadachim francês que está à procura do assassino de sua irmã, e Iggy, um Boston Terrier mal-humorado que aparentemente gosta de chicletes sabor café. Agora com um total de seis membros, o improvável bando de viajantes não aceitará ser impedido em sua cruzada para destruir DIO de uma vez por toda.

JoJo's Bizarre Adventure – JoJo no Kimyou na Bouken

Parte 4: Diamond Is Unbreakable (Vols. 29–47, 174 caps.)

A quarta fase da série JoJo’s Bizarre Adventure foi uma drástica mudança de rumo em questão de estética e narrativa. Ao contrário da “trilogia” que veio logo antes, que apresentava aventuras épicas ambientadas em diversos lugares, Diamond Is Unbreakable buscou forte inspiração no seriado Twin Peaks (1990-1991), bastante popular na época, para criar uma história que combina elementos de suspense psicológico e slice-of-life.

O ano é 1999. Agora um biólogo marinho, Jotaro Kujo vai à cidade japonesa fictícia de Morioh para conversar com o adolescente Josuke Higashikata a respeito de duas coisas: contar ao rapaz que ele é na verdade filho bastardo de Joseph Joestar, tendo agora acesso à herança da família; e avisá-lo que a cidade está se tornando infestada de usuários de Stand, graças a misteriosos Arco e Flecha que conferem Stands àqueles que forem atingidos pela ponta dourada da flecha e sobreviverem.

Após Josuke se vingar brutalmente de um usuário de Stand maníaco que assassina seu avô, ele concorda em ajudar Jotaro a caçar o portador do Arco e Flecha, Akira Otoishi. O par ganha aliados na forma de Koichi Hirose, que sobrevive a um tiro da Flecha; Okuyasu Nijimura, cujo irmão Keicho estava com a Flecha até ela ser roubada; Rohan Kishibe, um mangaká famoso; e o já idoso Joseph Joestar.

Ao longo do caminho, os membros do grupo travam batalhas contra vários dos recém-despertados usuários de Stand ao redor de Morioh, que incluem vários colegas da escola onde Josuke, Koichi e Okuyasu estudam. Enquanto isso, um cruel serial killer vive à espreita em Morioh sem ser notado, e uma tragédia coloca os heróis em rota de colisão com essa ardilosa ameaça.

JoJo's Bizarre Adventure – JoJo no Kimyou na Bouken

Em desenvolvimento…

Tate no yuusha no nariagari — the rising of the shield hero

Tate no Yuusha no Nariagari — The Rising of the Shield Hero

Tate no Yuusha no Nariagari, conhecida no ocidente como The Rising of the Shield Hero ou simplesmente Tate no Yuusha, é uma série japonesa de light novels escrita por Aneko Yusagi e pertencente aos gêneros de isekai e fantasia.

Originalmente serializada como web novels no portal Shōsetsuka ni Narō entre 2012 e 2015, Tate no Yuusha foi adquirida em 2013 pela editora Media Factory, onde a história foi recriada pelo autor em forma de light novels com um enredo expandido e ilustrações de Seira Minami. As light novels têm 22 volumes até o momento, e continuam sendo publicadas.

Tate no yuusha no nariagari — the rising of the shield hero

Sobre Tate no Yuusha — Premissa e Sinopse

A ambientação de Tate no Yuusha não é muito diferente de outras obras isekai originalmente lançadas na primeira metade da década de 2010: como muitas outras narrativas que compunham o movimento iniciado por Sword Art Online, Tate no Yuusha é situado em um universo alternativo inspirado pelo gênero high fantasy que incorpora elementos presentes em jogos do gênero MMORPG (Massively Multiplayer Online Role-Playing Game).

No entanto, uma particularidade presente em Tate no Yuusha que também pode ser vista em obras como Re:Zero kara Hajimeru Isekai Seikatsu e Hai to Gensou no Grimgar é a interpretação cínica da ambientação e dos conceitos associados à mesma, abandonando o aspecto de power fantasy geralmente visto no subgênero isekai.

Tate no yuusha no nariagari — the rising of the shield hero

Sinopse do Enredo

Naofumi Iwatani, um despreocupado jovem japonês, é repentinamente invocado para um mundo paralelo junto a outros rapazes, todos vindos de versões alternativas da Terra com o objetivo de se tornarem os Heróis Cardeais deste mundo e lutar contra hordas de monstros interdimensionais conhecidas como Ondas.

Cada um dos heróis é presenteado com seu próprio equipamento lendário no momento de sua invocação. Naofumi por recebe o Escudo Lendário, a única peça de equipamento defensiva, enquanto os demais heróis ganham uma espada, uma lança e um arco, armas destinadas ao ataque.

Ao contrário dos outros heróis que recebem completo apoio do reino, junto a diversos fortes aliados para cada um, a sorte de Naofumi vai de mal a pior quando sua única companheira — revelada como a princesa desse reino — o trai, rouba todos os seus pertences e o deixa completamente isolado após falsamente acusá-lo de assédio sexual. Escarnecido pela nobreza e enxotado por todos, desde seus colegas heróicos até os aldeões, o agora cínico Naofumi é forçado a treinar como um herói solitário enquanto trabalha para fazer face às despesas.

Naofumi consegue seus primeiros companheiros ao comprá-los de um vendedor de escravos: uma jovem garota tanuki demi-humana chamada Raphtalia, e um ovo que choca para se tornar uma ave-monstro à qual Naofumi dá o nome de Filo. Ambas rapidamente crescem até a idade adulta, se tornando poderosas guerreiras sob a tutela de Naofumi.

Tate no yuusha no nariagari — the rising of the shield hero

À medida que eles, de pouco em pouco, ganham a confiança e a gratidão do povo graças aos seus feitos heróicos, Naofumi e suas companheiras trabalham juntos para prosseguir em sua missão como os salvadores do mundo ao passo em que desvendam o mistério das Ondas e Naofumi lida com a escuridão que vem crescendo dentro de si.

As mídias de Tate No Yuusha

Assim como foi o caso da comédia KonoSuba, a franquia multimídia de Tate No Yuusha foi iniciada a partir de uma web novel distribuída através do portal de conteúdo gratuito Shōsetsuka ni Narō. O sucesso dessa obra original motivou a aquisição dos direitos de publicação pela editora Media Factory em 2013, mas a web novel continuou a ser publicada gratuitamente até 2015.

A série de light novels

O enredo de Tate No Yuusha foi re-escrito e expandido para a publicação em forma de light novel, com ilustrações de Seira Minami. Dos vinte e dois volumes lançados a partir de 22 de agosto de 2013, o mais recente é datado de 25 de junho de 2019, mas a série ainda está em desenvolvimento.

O spin-off Yari no Yuusha no Yarinaoshi (que oficialmente leva o título em de The Reprise of the Spear Hero, ou “O Retorno do Herói da Lança”), concebido como uma continuação da web novel original com foco no personagem Motoyasu Kitamura — o titular Herói da Lança, vem sendo publicado online pela Media Factory desde 25 de setembro de 2017. O spin-off também é uma colaboração entre Yusagi e Minami.

Mangás

A série de light novels foi adaptada para uma série em mangá por Aiya Kyu e publicada pela Media Factory a partir de 5 de fevereiro de 2014, com dezesseis volumes tankobon lançados até o momento, sendo o volume mais recente publicado no dia 20 de julho de 2020.

Em entrevista ao portal Monsters & Critics, o mangaká responsável pela adaptação disse que “o departamento editorial da Comic Flapper (revista mensal de mangás seinen da editora Media Factory) me contou sobre essa oportunidade, e eu alegremente a aceitei”.

A história spin-off Yari no Yuusha no Yarinaoshi também vem sendo publicada no formato mangá desde o dia 22 de dezembro de 2017 tanto online quanto em volumes tankobon, sem ser serializada na mesma revista que o mangá principal. A adaptação do spin-off também é de autoria de Kyu, com seis volumes lançados até o momento.

Um spin-off de comédia no formato yonkoma (mangá composto por esquetes de quatro painéis) chamado Tate no Yūsha no to Aru 1-Nichi (oficialmente traduzido para A Day in the Life of the Shield Hero, ou “Um Dia na Vida do Herói do Escudo”) foi lançado como parte da 61ª edição da revista Kadokawa Dengeki Daioh G. O spin-off é ilustrado por Akagashi.

Tate no yuusha no nariagari — the rising of the shield hero

O Anime

Uma adaptação animada para Tate no Yuusha foi anunciada em junho de 2017, com o estúdio de animação Kinema Citrus (conhecido por Made in Abyss) encarregado da produção e Takao Abo assumindo o posto de diretor.

Keigo Koyanagi é responsável pela composição da série, que tem designs de personagens por Masahiro Suwa e trilha sonora composta pelo britânico Kevin Penking, que também trabalhou com o Kinema Citrus em Made in Abyss. A série foi ao ar entre 9 de janeiro e 26 de junho de 2019, com seus 25 episódios sendo exibidos em diversas emissoras japonesas incluindo AT-X.

O primeiro tema de abertura do anime de Tate no Yuusha é a canção “RISE”, interpretada pela boy band MADKID, enquanto o primeiro encerramento é “Kimi no Namae”, cantado por Chiai Fujikawa. A abertura para a segunda metade da série é “FAITH”, também da MADKID, enquanto o encerramento dessa porção é “While I’m Next to You” (ou “Atashi ga Tonari ni Iru Uchi ni“), também por Fujikawa. Para o episódio 4, a dubladora Asami Seto canta uma insert song chamada “Falling Through Starlight” como sua personagem Raphtalia.

Os serviços de streaming Crunchyroll e Funimation ambos transmitiram Tate no Yuusha no ocidente como parte de uma parceria, exibindo tanto a versão original em japonês quanto a dublagem em inglês ao mesmo tempo. A Funimation começou a exibir a dublagem apenas no dia 1º de Maio, disponibilizando todos os episódios lançados até então. A partir do episódio 19, os episódios dublados passaram a ter duas semanas de atraso.

Durante a convenção Crunchyroll Expo em 2019, foi anunciado que a série receberá duas novas temporadas. Com exceção de um key visual que dá a entender que a mesma equipe envolvida na primeira temporada retornaria para as temporadas subsequentes, nenhuma informação concreta ou data de lançamento foi revelada.

As duas novas temporadas estão em produção de forma concomitante neste momento, e tanto o estúdio Kinema Citrus quanto o elenco de dublagem da primeira temporada irão retornar.

Tate no yuusha no nariagari — the rising of the shield hero

Inicialmente, a previsão de lançamento estaria estimada para o segundo semestre de 2020, mas a alta probabilidade de a produção ter sofrido complicações devido à COVID-19 significa que a série provavelmente será lançada apenas em 2021.

Em desenvolvimento…

sword art online

Sword Art Online

Sword Art Online é uma série japonesa de light novels escrita por Reki Kawahara e ilustrada por abec, pertencente aos gêneros isekai, ficção científica e fantasia.

Originalmente serializada como uma web novel publicada por Kawahara em seu próprio website entre 2002 e 2008, Sword Art Online se tornou uma franquia multimídia após ser publicada como light novel pela editora ASCII Media Works sob a imprint Dengeki Bunko. A publicação teve início no ano de 2009 e continua de forma consistente até os dias de hoje.

Sword Art Online

Sobre Sword Art Online — Premissa e Resumo do Enredo

A série é ambientada em um futuro próximo, onde jogos MMO (Massively Multiplayer Online) de diversos gêneros são ambientados em vastos mundos de realidade virtual. O jogo que dá nome à franquia, Sword Art Online (SAO), é um MMORPG (Massively Multiplayer Online Role-Playing Game) ambientado no mundo de Aincrad, que também é palco para a história do primeiro arco da série.

O sucesso das light novels e da subsequente adaptação animada lançada em 2012 é comumente apontado como o principal responsável pela explosão dos isekais na década de 2010, especialmente na primeira metade desse período. Na mesma época houve o surgimento de franquias como Re:Zero, KonoSuba, That Time I Got Reincarnated as a Slime, Tate no Yuusha, Overlord e No Game No Life, todas elas situadas em mundos de fantasia que operam sob uma lógica semelhante a jogos de RPG.

A História de Sword Art Online

Toda a trama de Sword Art Online gira em torno dos protagonistas Kazuto “Kirito” Kirigaya e Asuna Yuuki, que vivem aventuras em diversos jogos online acessados através do dispositivo de realidade virtual NerveGear, que coloca seus usuários em um estado de sono profundo no mundo real.

Sword Art Online

Parte 1: Sword Art Online

O primeiro arco da série é focado no jogo homônimo Sword Art Online, que foi lançado junto ao NerveGear. Em 6 de Novembroo, o tão-aguardado dia em que as atividades de SAO são iniciadas, 10.000 usuários fazem log in no servidor pela primeira vez e, pouco tempo depois, descobrem que ficaram presos no jogo.

Akihiko Kayaba, criador do jogo e principal antagonista dessa fase, surge diante dos jogadores e os desafia a derrotar as ameaças presentes ao longo dos 100 andares do castelo de Aincrad se quiserem voltar ao mundo real. Além disso, Kayaba diz que quem morrer dentro do jogo ou tentar retirar o NerveGear à força morrerá instantaneamente na vida real.

Kirito é introduzido como um dos 1.000 beta testers originais de Sword Art Online dotado de uma capacidade de burlar regras do jogo, que dá a ele o apelido de “beater” (uma combinação entre os termos beta tester e cheater) e provoca hostilidade por parte dos demais jogadores. Conforme progride no jogo, Kirito conhece a garota Asuna e desenvolve um relacionamento com ela, que culmina em um casamento dos dois dentro do jogo.

Os protagonistas eventualmente descobrem que o vilão Kayaba estava infiltrado entre os jogadores como o personagem Heathcliff, líder da guilda da qual Asuna faz parte. Ao derrotar Kayaba em uma batalha, Kirito liberta a si próprio e aos demais jogadores, e retorna ao mundo real.

Sword Art Online

Parte 2: Alfheim Online

O segundo arco de Sword Art Online começa quando Kazuto, pouco tempo após retornar ao mundo real, descobre que trezentos jogadores de SAO, incluindo sua amiga e interesse amoroso Asuna, foram incapazes de voltar ao mundo real e permanecem em coma induzido pela NerveGear.

Quando vai ao hospital ver Asuna, Kazuto encontra o pai dela, Shouzou Yuuki, que está conversando com um de seus sócios chamado Nobuyuki Sugou que diz respeito a uma decisão que Shouzou deve tomar. Sugou revela que tal decisão é na verdade o casamento entre ele e Asuna, enfurecendo Kazuto.

Vários meses depois, Kazuto recebe uma mensagem de Agil, um dos outros sobreviventes de SAO, que diz que uma pessoa muito parecida com Asuna foi avistada dentro de Alfheim Online (ALO), outro MMORPG que funciona na mesma estrutura do NerveGear, e decide tornar-se Kirito novamente e se conectar a outro universo virtual para salvar a garota que ele ama.

Auxiliado dentro do jogo por sua prima Suguha “Leafa” Kirigaya e pela fada-guia Yui — originalmente uma inteligência artificial de SAO —, Kirito rapidamente descobre que os jogadores presos em ALO foram na realidade propositalmente impedidos de acordar, como parte de um plano de Sugou para realizar experimentos ilegais nos cérebros deles.

O objetivo desses experimentos é duplo: criar o método perfeito de controle mental, a fim de vendê-lo clandestinamente para empresas interessadas; e dominar a mente de Asuna, com quem Sugou quer se casar após o retorno dela ao mundo real, para posteriormente assumir o controle da corporação da família Yuuki.

Kirito eventualmente interrompe a operação de Sugou e resgata os 300 jogadores que não conseguiram escapar de SAO da primeira vez. Antes de se desconectar de ALO para finalmente encontrar Asuna no mundo real, ele encontra Kayaba, que havia sacrificado a própria vida ao fazer um upload de sua consciência para a Internet através de um protótipo destrutivamente poderoso do NerveGear. Kayaba confia ao rapaz sua última criação, que se chama “A Semente” – um programa de gestão de pacotes projetado para a criação de mundos virtuais.

No mundo real, Kazuto eventualmente se reune com Asuna, e A Semente é publicada gratuitamente na Internet. Aincrad, o mundo virtual onde o Sword Art Online original se situava, é revivido, e inúmeros MMORPGs de realidade virtual começam a prosperar graças ao fato de que, agora, todos têm as ferramentas para criar seus próprios mundos.

Sword Art Online

Parte 3: Gun Gale Online (Sword Art Online II)

Um ano após os eventos em SAO, a pedido de um oficial do governo que está investigando episódios bizarros nos ambientes de realidade virtual, Kazuto aceita um trabalho para investigar uma série de assassinatos envolvendo outro VRMMORPG chamado Gun Gale Online (GGO), o AmuSphere (sucessor do dispositivo NerveGear), e um misterioso jogador Death Gun.

Auxiliado por uma jogadora chamada Shino “Sinon” Asada, Kirito então participa de um torneio de pistoleiros chamado Bullet of Bullets (BoB) e descobre a verdade por trás dos assassinatos, que se originaram com um jogador que participava de uma guilda de player killers em SAO. Através dos esforços dele e de Sinon, dois suspeitos são capturados, mas o terceiro deles, Johnny Black, consegue escapar.

Parte 4: Alicization

O arco atual de Sword Art Online se inicia pouco tempo após os eventos no jogo GGO, continuando a história de Kazuto em sua busca pelo criminoso Johnny Black através de vários mundos virtuais.

Kazuto é recrutado para testar uma máquina experimental de FullDive chamada Soul Translator (STL), que possui uma interface muito mais realista e complexa que o dispositivo onde ele jogara anteriormente. Tais testes têm o objetivo de desenvolver uma inteligência artificial para a organização RATH, que trabalha com pesquisa e desenvolvimento sob o Ministério da Defesa japonês. Essa inteligência artificial se chama A.L.I.C.E.

Ao testar o STL, ele entra em um mundo virtual criado com A Semente que se chama UnderWorld (UW). Dentro do UW, o tempo flui milhares de vezes mais rápido que no mundo real, e as memórias de Kirito sobre as coisas que acontecem lá não acompanham Kazuto de volta quando ele acorda. Quando Johnny Black fere Kazuto com cloreto de suxametônio, a RATH resgata o rapaz e o coloca de volta no STL para preservar sua mente enquanto tentam salvá-lo.

Durante sua estadia no UnderWorld, Kirito faz amizade com Eugeo, um carpinteiro no vilarejo de Rulid, e o ajuda em uma jornada para salvar sua amiga Alice Zuberg, que fora levada por um grupo de guerreiros altamente habilidosos conhecido como os Integrity Knights após acidentalmente quebrar uma regra da Igreja Axiom, os líderes do império humano.

Kirito e Eugeo, ao longo de sua jornada, acabam descobrindo os segredos da Igreja Axiom, liderada por uma mulher conhecida como A Pontífice, e o verdadeiro propósito do UnderWorld em si. Enquanto isso, sem que os heróis saibam, uma guerra contra o Território Sombrio se aproxima no horizonte. No mundo real, o conflito escala à medida que um grupo desconhecido invade as instalações da RATH e tenta tomar A.L.I.C.E. para fins igualmente misteriosos.

Sword Art Online

Sword Art Online Como Franquia Multimídia

Em desenvolvimento…

Konosuba — kono subarashii sekai ni shukufuku o!

KonoSuba — Kono Subarashii Sekai ni Shukufuku o!

KonoSuba, abreviação de Kono Subarashii Sekai ni Shukufuku o! (título que pode ser traduzido para o português como “Abençoado Seja Este Mundo Maravilhoso!“), é uma série de light novels escritas por Natsume Akatsuki, pertencentes aos gêneros de fantasia e comédia.

Originalmente serializada na forma de web novels no portal Shōsetsuka ni Narō entre dezembro de 2012 e outubro de 2013, KonoSuba tornou-se uma franquia multimídia após ser adquirida pela editora Kadokawa Shoten, onde a história foi recriada pelo autor em forma de light novels publicadas sob a imprint Kadokawa Sneaker Bunko entre 2013 e 2020.

KonoSuba

Sobre KonoSuba — Premissa e Sinopse

O enredo de KonoSuba consiste em uma paródia do popular subgênero isekai (lit: outro mundo), cujas histórias são comumente protagonizadas por personagens que originalmente residiam no mundo real até serem transportados para uma realidade alternativa, que geralmente incorpora elementos de fantasia e/ou ficção científica.

Na época em que KonoSuba foi originalmente lançado, a tendência dominante entre os isekais consistia em ambientar as histórias em mundos cujo funcionamento adere à lógica interna normalmente encontrada em jogos do gênero MMORPG (Massively Multiplayer Online Role-Playing Games).

Essa tendência se popularizou em 2012 com o lançamento — e subsequente sucesso — da primeira adaptação animada da série de light novels Sword Art Online (que vêm sendo publicadas pela ASCII Media Works sob a imprint Dengeki Bunko desde 2009), rapidamente motivando as editoras e emissoras de televisão japonesas a produzir mais conteúdo que explorasse esse nicho.

A web novel de Natsume Akatsuki, fã confesso das franquias Wizardry e Final Fantasy, se inspirou principalmente em RPGs de mesa para construir o universo e a estética de KonoSuba. O enredo, contudo, tem o objetivo principal de “tirar sarro” de diversos elementos que se tornaram padrão nas inúmeras histórias publicadas no subgênero isekai durante aquele momento, apresentando-os de modo a subverter ou extrapolar as expectativas geralmente associadas a esse estilo de narrativa.

KonoSuba

Sinopse

Após morrer de forma prematura e constrangedora, Kazuma Satō, um adolescente japonês que adere ao estilo de vida “hikikomori” (um fenômeno bastante comum no Japão onde adolescentes e adultos se tornam “eremitas urbanos”, se isolando em casa longe de qualquer convívio social), conhece a deusa Aqua, que oferece ao rapaz a oportunidade de renascer em um mundo paralelo de fantasia com elementos de MMORPG onde ele pode partir em aventuras e enfrentar monstros.

Apesar de Kazuma poder escolher entre qualquer objeto mágico ou habilidade super-poderosa para acompanhá-lo nessa nova vida, o rapaz reage a provocações e escolhe a própria deusa — que não gostou nem um pouco da ideia — como sua companheira.

Poucos segundos e muitos chiliques depois, os dois são transportados para a cidade de Axel e o rapaz, que até então esperava uma aventura emocionante como nos demais animes do gênero, rapidamente se arrepende de ter escolhido Aqua como acompanhante devido à personalidade preguiçosa e distraída da deusa.

Como Aqua é incapaz de retornar ao além até que o maligno Rei Demônio seja derrotado, a dupla decide criar um bando de aventureiros e recruta dois outros membros para ajudá-los: Megumin, uma bruxa obcecada por explosões; e Darkness, uma cruzada com impulsos masoquistas.

Devido às personalidades e habilidades altamente disfuncionais do bando, Kazuma rapidamente desiste da ideia de derrotar o Rei Demônio e decide focar seus esforços em viver uma vida luxuosa. As circunstâncias de seu cotidiano, no entanto, sempre acabam forçando o rapaz e seu bando a encontrar e enfrentar os exércitos e generais do Rei Demônio.

KonoSuba

Mídias da franquia KonoSuba

Desde o lançamento da web novel original em 2012, a popularidade de KonoSuba foi suficiente para expandir a história original para uma franquia multimídia. Até o momento, a variedade de conteúdo que reconta ou adapta o enredo e os personagens de KonoSuba pode ser encontrada nos seguintes meios: light novels, mangás, animes para a televisão, produções para o cinema, jogos eletrônicos e Audio CDs.

A web novelKono Subarashii Sekai ni Shukufuku o!

A web novel original de KonoSuba foi publicada entre dezembro de 2012 e outubro de 2013 no site Shōsetsuka ni Narō (conhecido também como Syosetu), um portal bastante popular no Japão onde usuários podem publicar suas histórias originais de forma totalmente gratuita.

Desde a fundação do portal Syosetu, em abril de 2004, as histórias publicadas no site deram origem a diversas franquias de sucesso, a exemplo de Log Horizon, Mahouka Koukou no Rettousei e a própria KonoSuba. A editora Futabasha, com o objetivo de tirar proveito desse potencial, estabeleceu em 2014 a imprint de light novels Monster Bunko, que publica quase exclusivamente obras baseadas no conteúdo do Syosetu.

O autor Natsume Akatsuki também publicou no site uma história one-shot situada no universo de KonoSuba, estrelando os personagens secundários Wiz e Vanir.

O acervo completo da web novel (em japonês) pode ser acessado através deste link, e o one-shot pode ser lido (também em japonês) clicando aqui.

KonoSuba

As light novels

A partir do dia 1º de outubro de 2013, KonoSuba passou a ser publicado na forma de light novels com ilustrações de Kurone Mishima sob a imprint Kadokawa Sneaker Bunko da editora Kadokawa Shoten, com um total de dezessete volumes lançados até 1º de maio de 2020, data de publicação do volume final.

Além de alterações leves feitas por Akatsuki em aspectos superficiais da história como as idades dos personagens, o enredo das light novels de KonoSuba começa a divergir daquele originalmente apresentado nas web novels originais a partir do sexto volume. Estruturalmente, ambas as versões têm inícios e finais semelhantes, embora o 17º volume da light novel também inclua um epílogo que traz eventos posteriores ao encerramento original.

Akatsuki e Mishima são também responsáveis por escrever e ilustrar uma série spin-off de light novels chamada Kono Subarashii Sekai ni Bakuen o! (título que pode ser traduzido para “Explodido Seja Este Mundo Maravilhoso!”), cuja história é focada na personagem Megumin e situada um ano antes da série principal, que foi lançada em três volumes publicados entre 1º de julho de 2014 e 1º de junho de 2015.

Uma novel única continuando a história desse spin-off foi lançada em 28 de dezembro de 2016, levando o título Zoku: Kono Subarashii Sekai ni Bakuen o! (em português, “Sequência: Explodido Seja Este Mundo Maravilhoso!”).

Outro spin-off de KonoSuba, dessa vez estrelando o personagem coadjuvante Vanir, foi publicado no dia 1º de abril de 2016 com o título Kono Kamen no Akuma ni Sōdan o! (em português, “Consultando com o Demônio Mascarado!”).

Uma terceira série spin-off chamada Kono Subarashii Sekai ni Shukufuku o! Extra Ano Orokamono ni mo Kyakkou o! (literalmente, “Abençoado Seja Eu Neste Mundo Maravilhoso! Extra: Dá uma olhada também naquele idiota!”) começou a ser publicada em 1º de agosto de 2017. Escrita por Hirukuma e ilustrada por Uihime Hagure, a série tem Dust como personagem central de sua trama. O segundo volume foi lançado no dia 1º de dezembro de 2017.

No dia 1º de janeiro de 2020, foi lançada a coletânea Kono Subarashii Sekai no Shukufuku ou! Yorimichi! (traduzido como “Abençoado Seja Este Mundo Maravilhoso! Desvio!” em português). Escrita pelo próprio Akatsuki, a coletânea é um apanhado de diversos contos originalmente lançados como extras nos conjuntos de Blu-Ray e DVD do anime de KonoSuba.

O Mangá

Uma adaptação de KonoSuba para mangá, ilustrada por Masahito Watari, começou a ser serializada na edição de outubro de 2014 da revista Monthly Dragon Age, da editora Fujimi Shobo, em 9 de setembro de 2014. Oito volumes tankōbon foram lançados até maio de 2019.

Um mangá spin-off, cujo nome em português seria algo como “Holofotes (Até) Para Esse Idiota! Presenteado Com Bênçãos Seja Esse Mundo Maravilhoso! Extra“, foi lançado em conjunto com o décimo-segundo volume da light novel. Escrito e ilustrado respectivamente por Kuma Hiru e Hagure Yuki, o mangá tem a história focada em Dust, que se envolveu em uma confusão com Vanir por causa de produtos roubados.

KonoSuba

Anime, OVAs e Participações Especiais

KonoSuba ganhou uma adaptação em anime produzida pelo Studio Deen e exibida pela emissora Tokyo MX entre 14 de janeiro e 16 de março de 2016. A série foi posteriormente exibida por oito outras redes de televisão, além de diversas redes de streaming com o sistema video on demand. A série teve transmissão simultânea pela plataforma Crunchyroll em diversas regiões, e pela AnimeLab exclusivamente na Austrália. O anime foi dirigido por Takaomi Kanazaki e roteirizada por Makoto Uezu, com Koichi Kikuta encarregado do design dos personagens.

Uma original video animation (OVA) acompanhou o nono volume da light novel de KonoSuba em junho de 2016, a fim de promover o anime. A música de abertura é “Fantastic Dreamer”, da cantora Machico, enquanto o tema de encerramento é Chīsana Bōken-sha (“Pequeno Aventureiro“, em tradução literal), cantada por Sora Amamiya, Rie Takahashi e Ai Kayano (que dão suas respectivas vozes para Aqua, Megumin e Darkness na série).

A série foi animada pela dupla Koichi Kikuta e Momoka Komatsu, sendo o primeiro responsável por episódios de número ímpar e o segundo pelos de número par. Enquanto os character designs de Komatsu permaneciam mais fiéis àqueles das light novels e tinham um visual mais atraente, Kikuta tirou inspiração de programas infantis — como Pokémon — para seus designs já que ele achava a história de KonoSuba bem parecida com as encontradas em seriados daquele estilo.

Uma segunda temporada foi ao ar entre 12 de janeiro e 16 de março de 2017. A música de abertura da segunda temporada é Tomorrow, também da cantora Machico, e o encerramento é Ouchi ni Kaeritai (título que, em português, significa literalmente “Quero Ir Para Casa”), que é cantada pelas dubladoras das três protagonistas assim como na temporada anterior.

Em 6 de outubro de 2018, foi anunciado que os personagens de KonoSuba apareceriam em Isekai Quartet, um anime de crossover que também conta com participação de personagens das séries Re:Zero kara Hajimeru Isekai Seikatsu, Overlord e Yōjo Senki.

O Filme “Legend of Crimson”

Em 25 de julho de 2017, Jun Fukushima — dublador de Kazuma — e Rie Takahashi anunciaram planos para um novo projeto de animação na franquia KonoSuba. Mais tarde o projeto foi revelado como o filme Kono Subarashii Sekai ni Shukufuku o! Kurenai Densetsu (título traduzido como “Abençoado Seja Esse Mundo Maravilhoso! Lenda do Carmesim“, de forma literal), também conhecido popularmente como Legend of Crimson.

A produção do longa-metragem foi oficialmente anunciada em 25 de junho de 2018, com o estúdio J.C. Staff encarregado da animação e o elenco da série retornando aos seus respectivos papéis. O filme foi lançado no dia 30 de agosto de 2019 em cinemas japoneses, sendo oficialmente distribuído no ocidente em streaming através da plataforma Crunchyroll a partir de 25 de março de 2020.

KonoSuba

Mangazine

Sua enciclopédia sobre mangás.

Este é um site do Grupo Mediaz